sexta-feira, fevereiro 05, 2016

Novo Mundo, Nada Novo

Novo mundo, novos amigos, novas visões
nova vida, novo pensamento, novas ideias
novas marcas, novas metas, novos empregos
E um lugar que não me proporciona novidades alguma. 

Natalia Ansbach.

quarta-feira, janeiro 27, 2016

Mulher

Mulher

Mulher é sensível,
sem dúvida lida com o mundo de forma bem diferente do homem.
Mulher precisa de 'timing', hora certa, cabeça tranquila.
Dia a dia corrido, vida limitada, torna tudo mais difícil.
Mulher tem dificuldade de separar momentos.
Deixar de lado problemas e viver o momento já se torna um problema enorme.
Mulher as vezes precisa entrar no 'casulo' e ser aceita dessa forma.
A forma de amar e desejar, na maioria das vezes, é muito diferente.
Mulher é sensível.
Precisa de carinho na hora certa, precisa de conversa,
precisa do silêncio, precisa tempo e precisa se sentir amada a todo momento.
Mulher é sensível
Diferente de qualquer manual
Diferente do que se espera
Mulher é preocupada com tudo a sua volta
quer cuidar, arrumar, organizar
Precisa ter tudo no seu lugar
Precisa se programar, se amar, se cuidar
Dar conta é o seu segundo nome
Mulher sente demais, chora demais, sorri demais,
Mulher é intensidade
Dificuldade
Amor
Paciência
Chocolate
TPM
Eu sou mulher,  esse é meu retrato.

Natalia Ansbach

sexta-feira, maio 02, 2014

Mudei

Mudei e ja não tenho mais aquela inocência
Mudei e sofro para me aceitar desta forma
Mudei e não consigo mais voltar a ser como antes
Mudei e ninguém tem obrigação de me aceitar diferente
Mudei e agora sei o que quero, como quero
Mudei e mesmo sem saber se para pior, 
A certeza de que meu sentimento não mudou me faz melhor. 
Mudei e preciso de respeito. 

Natalia Ansbach

terça-feira, abril 30, 2013

Conversa com a lua

Expectativas embrulhadas
Coração esmigalhado
Querer crer sem mais acreditar
Amarrar a vida em uma árvore sem frutos
Medo de viver ímpar
Implorando pela luz da lua
Implorando pela luz...
Respostas apagadas com a parte mais cruel de si
E tudo se encaixa da maneira que não deveria ser
Rezando a lenda da lealdade e do respeito
E finjo que não me importo
Estufo o peito.

Natalia Ansbach

quarta-feira, dezembro 12, 2012

O tamanho disso tudo

Tamanha expectativa do amor
Tamanha dor do que julgam menos importante
Tamanho coração cheio de angústias não resolvidas
Tamanho sentimento de certeza do que será
Tamanho sentimento de amar
Tamanha luz que bate contra a vista e me deixa sem enxergar
Tamanha noite quente acordada e sem ar
Tamanha vontade de te apertar até isso tudo passar
Tamanha imaginação de uma vida inteira ímpar.

Natalia Ansbach

Só dois

Me ajusto, me assusto
Me quebro, me afundo
Me rendo, me prendo, me sufoco
Me levanto, me espanto
Revivo, repenso, reprimo e reanimo
Me retiro de cena, quem sabe até sorrindo

Indiferença na tristeza
Frieza na incerteza
Mágoas, águas e uma pitada de loucura
Medo de dizer, sem saber ser
Medo de você?
Amor incondicional que não se cura
Se fecha no medo do não dito
Bobeirinhas para chamar atenção
Recolhendo caquinhos desse bobo coração
Abrindo os mais profundos pensamentos e receios a essa parte de mim
Que me parte e me completa sem fim
Sempre boa intenção, com uma vida nas mãos
Pulmão apertadinho, falta ar...
Pensamentos com amor e carinho.


Natalia Ansbach

sexta-feira, agosto 10, 2012

Simplesmente minha essência

É fácil eu me iludir. Acredito em todo mundo até que me provem ao contrário. Faço questão de ter as pessoas que considero boas ao meu lado. Gosto de abraço, beijo no rosto, aperto de mão. Gosto de dar e receber atenção e carinho. Sofro por mim, por você e por quem eu nem conheco. Não faço amigos por conveniência e sim por afinidade e eterna carência de pessoas a minha volta. Não gosto de me sentir sozinha, mas gosto de estar sozinha de vez em quando. Não curto mentiras, não puxo o saco das pessoas. Aprendi a rir de algumas piadas sem graça para compartilhar da alegria de um amigo. Atendo o telefone mesmo sem vontade. Respondo qualquer pergunta mesmo quando penso que deveria ignorar. Não gosto de tumulto, mas quero as pessoas certas a minha volta. Não concordo com muita coisa, mas prefiro as vezes não argumentar demais. Não tenho medo de viver e não tenho medo de errar. Sei pedir desculpas e não sei ser ignorante quando precisa. Corro atrás dos meus objetivos até que a vida me mostre que não dá mais. Sonho bastante, penso bastante, falo até demais. Aprecio a sinceridade, tenho prazer em ouvir as pessoas. Educação e gentileza me atraem. Sou curiosa. Espero muito das pessoas e levo tombos grandes por isso. Tento aprender a cada dia que gostar de alguém apenas não faz com que essa pessoa goste de mim também. Trabalho diariamente para reverter esse texto, mesmo que um pouco, para que minha frase inicial da próxima vez seja: Não é fácil eu me iludir.

Natalia Ansbach

quinta-feira, junho 28, 2012

Já pode ir embora

Angústia que vem e fica
Falta pulso, falta coragem
Me deixo ser boba, viro covarde
Rebaixo-me a pior pessoa possível
Desconfiguro linhas do tempo
Desestruturo toda um forma de vida e pensamentos
Vivo de prazer e vontades
Perdida entre a razão e a lealdade
Benefícios concebidos a quem não merece
Falta caráter, amor próprio
Desconheco meu mundo
Afasto o que tenho de mais precioso
Vivo o irreal e me sinto mal
Coração gelado de tanto sofrer
Arrependimento de um tempo que não passa
Cansada de tentar entender
Por que é isso que tenho que viver?

Natalia Ansbach

sexta-feira, março 09, 2012

Por uma loucura qualquer

Me invado de pensamentos sujos
Não durmo, esqueco da data, hora e sumo
Guardo objetos que não me pertencem
Objetivamente imponho o que quero e o que quero mais ainda
Me preencho com a tal teimosia
Insisto em algo que não me pertence
E dura quase que para sempre
Adormeço pensamentos constantes
Na inconstante sensação de amor e ódio
Hora amor, hora ódio
Desfaço princípios e características
Desmistifico toda uma vida
Cruzo a linha da loucura
Sanidade esquecida ha tempos
Mundo que vira ao contrário
Imunidade muito baixa em meus pensamentos
Abstinência parcial de você
Abstinência total de mim
Difícil viver sem ter, sem ti, sem mim.

Natalia Ansbach

quarta-feira, dezembro 28, 2011

Avesso

Me torno desprezível
Intragável, inconfiável a mim mesma
Tenho nojo de mim
Sou outra pessoa
Sou pior
Não me suporto mais
Não me escuto mais
Ficção ou realidade?
Mentira ou verdade?
Já não sei. Perdi.
Surtei, corri, gritei, xinguei
Fugi do senso
Me escondi em mim mesma
Deixei escapar toda e qualquer noção do social
Caio no clichê da menor classe possível
Falo besteira, faço pior ainda
Me perco na noção do certo e errado
Visto uma máscara
Saio por aí sem rumo, sem leis...
Não quero mais voltar
Quero viver qualquer coisa intensamente - loucamente
Quero viver tudo e qualquer coisa que vier em minha mente
hoje e para sempre.


Naty Ansbach

quinta-feira, junho 16, 2011

Pensando em poesia.

Penso que posso tudo, que devo fazer, que devo sentir 
Penso que posso muito mais do que faço. 

Penso que tenho uma luz, um poder, um amor no coração. 
Penso que penso muito e faço pouco 
Mas as vezes penso que faço muito e penso pouco 
Penso que a vida seria melhor com mais amor, com mais sinceridade 
Penso que escrevo poesia, mas acho que apenas exponho sentimentos verdadeiros. 

Penso que o mundo é meu amigo, mas dentro deste tenho muitos inimigos...
Penso que devo me bastar, mas preciso do sentimento do outro para sobreviver 
Penso que me perco em meio a tantos desejos. 
Melhor parar de pensar e voltar a escrever poesia.



Natalia Ansbach

quinta-feira, maio 05, 2011

Cadê?

Ela sumiu faz tempo
não voltou
ou será que se escondeu?
Será que cresceu? Murchou? 
Sei que não morreu.
Será que desapareceu? 
Volta, não volta, volta...
Ameaça ficar
e se vai sem avisar
O tempo passa
e eu me preparo, 
me deparo com ela de repente
Talvez a inspiração esteja mesmo doente.


Natalia Ansbach

Para cada problema uma nova esperança

Respiro bem fundo aliviada
imagino um dia de maravilhas
e tudo acontece como o previsto
Visto que nada permanece muito bom por muito tempo
Avisto um novo problema
Nova ação
Tensão.
Respiro bem fundo e dói
agradeço um dia de maravilhas
converso com ele sobre tudo
sinto que devo agradecer
agarrar os problemas e crescer
levantar a cabeça e não correr
Respiro bem fundo e digo que esqueci,
vou dormir.


Natalia Ansbach

segunda-feira, abril 18, 2011

...


Sobre as dúvidas, sobre a mágoa,
sobre a consideração, sobre expectativas desencontradas,
sobre intenções erotizadas, sobre mentiras maquiadas,
sobre a máscara cansada, sobre palavras não ditas e rasgadas,
sobre a saudade, sobre a vontade,
sobre a espera ancorada, sobre o tempo,
sobre o silêncio, sobre mim, sobre você.
Me diz, fica feio assim o meu adeus contrariado dizer?

Adriana Vidal

quarta-feira, setembro 01, 2010

...

Todo sentimento que nasce da terra
Gera uma fonte de conhecimento e pedra
Como a unidade de um amor
Que não é divisão
Mas se torna soma
Se torna estrada
Em cada palavra da minha saliva de álcool
Da minha pele em fumaça
Se achará o nó, o ponto de mutação
Para se entender que tudo é processo
O regresso que seja apenas teu
O futuro que seja apenas passo
Porque me encontro
Porque me toco nessa rede de laços
Quando contestam a mim o valor da sombra
Respondo com os olhos:
Que a penumbra não ocupa espaço
Que o espaço não ocupa tempo
E que o tempo é a nostalgia dos bêbados
Para o verso do poeta
A faca é seta e a seta é teia
A morte é certa e a certeza é veia
Para o poeta não há esse tom de ciência
Não há esse tom
Não há ciência
Não há poeta...

segunda-feira, agosto 16, 2010

Viver agora

Mistura de medo e alegria
Momento bom e ruim
Tudo ao mesmo tempo
Vento, sol, chuva...
Estado de espírito: 
Desconhecido
Dor no peito
Tensão
Vontade de gritar
Chorar, abraçar
Cuidar
Certezas enormes
Incertezas maiores ainda
Realidade
Querer irresistível de voce
Necessidade de vida
Medo da morte
Encantamento
Solidão
Eu, voce
E quem mais vier...
Hoje.


Naty Ansbach

quinta-feira, agosto 05, 2010

O momento bom do momento ruim

Vendo a chuva cair
Sentindo cheiro da terra molhada, 
De frente pro mar
Barulho gostoso
Energia muito positiva
Pensamentos bons por um minuto
...coisas simples. 
A vida pode ser boa
Sensação de catarse.

Natalia Ansbach

quarta-feira, junho 30, 2010

Eu quero sempre mais.

Me perco no tempo quando estou com voce
Me completo, me preencho
Sou tudo e todos
Sou desejo, sou vontade
Sou realidade
Imagino, presenteio
Desconfiguro
Não penso em nada,
Me desespero
Me preocupo
Sinto saudades do que tenho
e do que não tenho
Tudo é real,
Não imagino,
Faço
Te beijo, te agarro
Viro de ponta cabeça
Vivo o momento
Digo o que quero
Queria dizer mais
Quero sempre mais
Me encanto com qualquer defeito
Me encaixo em qualquer cena
Já não vivo sem voce
Já não sei te esquecer
e quero mais...
e quero mais...
e quero sempre, voce.

Natalia Ansbach

quarta-feira, junho 09, 2010

Cade o sentimento?

Ao se preocupar em moldar, 
fazer dar certo o que era incompatível, 
impossível, intragável, 
ela perdeu o tempo do sentimento. 
Esqueceu de sentir, 
esqueceu de viver, 
esqueceu de amar, 
mas jamais deixou de sonhar.

Naty Ansbach

terça-feira, maio 11, 2010

Sentindo

Sinto que saí de orbita
Fugi, esqueci, mudei...
Fiquei ausente, carente, doente...
Busquei, cai, levantei, chorei...
Fiz que não vi, escrevi, gritei, me perdi...
Assim de repente
Me encontrei novamente
Música diferente, vida de novo ...de repente...
Vivendo tudo o que nunca vivi
Diferente do que vi
Melhor do que senti
Maior do que qualquer dor
Tudo voltou ao que posso chamar de amor.




Natalia Ansbach

terça-feira, janeiro 26, 2010

Cena 1

E ela se entregou ao olhar sacana
Sentiu tanto que esqueceu de pensar
Sempre boa intenção
Mostrou que queria
Foi clara no que sentia
Decepção
E ele tentou o que mais queria
Sentiu tanto que esqueceu de pensar
Sempre má intenção
Mostrou que não sentia
Foi claro no que queria
Diversão.




Natalia Ansbach

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Real

Me descubro em outro País,
Não, não melhor do que o seu
Não melhor do que o meu
Ou Nosso?
Destinos traçados de forma irregular
Sonhos que se alteram
Se cruzam novamente
Desejos que saltam em sua direção
Rochas que se quebram e esfarelam pelo chão
Quero ficar
Quero estar
Quero ser
Já não me tolero mais
Já não suporto pensar que não é,
Sempre será
Medo de falar, agir, demonstrar
Certeza que deixa sem ar
Não quero mais ir pra lá
Quero ficar,
Quero estar,
Quero ser,
Curar, reorganizar
e para sempre
Amar.

Natalia Ansbach